Eleições 2014: Silas Malafaia e seu apoio ao PT ou PMDB

Malafaia poderá apoiar direta ou indiretamente candidatos que declaradamente defendem a agenda gay e são simpatizantes de legislações pró-aborto De antemão informo que o artigo em tela é uma análise política e não teológica. Não visa abordar assuntos relacionados ao ministério eclesiástico do pastor Silas Malafaia, mas as escolhas políticas do cidadão Silas Malafaia. Sugiro que não desfiram ataques a pessoa do pastor Silas nem ao seu ministério pastoral. O assunto aqui é político, portanto é bom que os comentários sejam à luz da política. As eleições de 2014 começam a agitar o mundo político-religioso. Conforme publicado pelo jornalista Lauro Jardim, na coluna Radar
OnLine, da Revista Veja, o atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), vai reunir-se com Silas Malafaia para tentar viabilizar o apoio deste ao possível candidato do partido, Luiz Fernando Pezão, ao governo do Rio em 2014. A coluna também publicou que Silas Malafaia tem a intenção de apoiar em 2014 para governo do estado do Rio, o senador do PT, Lindbergh Farias – que já demostrou simpatia à causa abortista, assim como é favorável ao PLC 122/2006 (lei da ‘homofobia’ – que visa colocar na cadeia pastores e padres que pregarem que homossexualismo é pecado). O apoio de Malafaia ao PT/RJ, em 2014, já havia sido anunciado pela jornalista Mônica Bérgamo, em sua coluna no Folha de São Paulo, em novembro de 2012. Apoiando um ou outro, Malafaia mete-se em um imbróglio pois estará apoiando – direta ou indiretamente – políticos que são simpáticos ao aborto e/ou PLC 122 e/ou agenda gay. Sobre Pezão pesam algumas denúncias, de acordo com o jornal Estado de São Paulo, de 01 de janeiro de 2013. A matéria do ‘Estado’ diz que Luiz Fernando Pezão responde a cinco ações de improbidade administrativa. “Nos processos, o Ministério Público Federal alega que a máfia das sanguessugas atuou na cidade [em que Pezão foi prefeito] vendendo ambulância superfaturada para a prefeitura. Pezão nega todas as acusações”, destaca a matéria. Em relação a Lindbergh Farias o assunto é um pouco mais extenso, esmiuçado nas linhas a seguir. Possível cenário político para as eleições no Rio em 2014 No meio político tem sido citado alguns possíveis nomes para substituir o atual governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). Os mais enfatizados são: -ex-governador e deputado federal Anthony Garotinho (PR) (com grande entrada no meio cristão e nas classes mais baixas da sociedade do Rio de Janeiro). -senador Lindberg Farias (PT) -vice-governador Pezão (PMDB). -Outros candidatos de partidos pequenos. Fatos e Conjecturas Candidatura Anthony Garotinho Ainda não é possível saber se proeminentes lideranças cristãs darão apoio à candidatura Garotinho ao governo estadual. O ex-governador ficou bastante desgastado politicamente em meados de 2000. Malafaia, Pezão e Sérgio Cabral Sendo Pezão o candidato do PMDB ao governo do Rio em 2014, e recebendo apoio de Silas Malafaia, este estará apoiando solidariamente o atual governador Sérgio Cabral ao Senado Federal – caso seja realmente candidato, como especula-se. Cabral é favorável à legalização da maconha, da agenda gay e do aborto. Já demonstrou claramente isto por mais de uma vez. Malafaia e Lindbergh Farias A aproximação de Silas Malafaia com o petista Lindbergh Farias pode ser explicitamente detectada em 2012, quando o senador foi à tribuna do Senado Federal defender Malafaia dos ataques que este vinha sofrendo por parte de alguns ativistas gays, e, semanas após, o convite ao senador para participar da Marcha Para Jesus realizada no Rio, como uma espécie de agradecimento. A Marcha foi organizada pelo COMERJ (Conselho de Ministros do Estado do Rio de Janeiro), entidade presidida por Silas Malafaia. Se a colaboração mútua entre Malafaia e o comunista Lindbergh foi intencional e previamente arquitetada, já visando 2014, não é possível saber. O que se sabe é que a estrada dos interesses políticos é uma via de mão dupla. Não existe bom-mocismo. Não é só de Malafaia que o senador petista tem se aproximado. Em 2010 recebeu o apoio explícito de RR Soares quando concorreu a uma vaga ao Senado. E no ano passado (2012) esteve na Igreja Mundial do Poder de Deus, no Rio de Janeiro, para prestar solidariedade ao apóstolo Valdemiro Santiago, quando este virou alvo de denúncias veiculadas pela Rede Record. Lindbergh Farias já tem o aval do PT do Rio de Janeiro e o apoio de Lula para concorrer ao governo do estado, conforme publicou o jornal Estado de São Paulo. Antes de chegar ao PT, o comunista Lindbergh Farias passou pelo Partido Comunista do Brasil e pelo utraradical de esquerda PSTU. Lindbergh Farias e o aborto Quando era deputado federal, Lindbergh Farias votou contra a Proposta de Emenda Constitucional 25/95 de autoria do deputado católico Severino Cavalcante (PE) que tinha por objetivo proibir o aborto em qualquer situação, como também evitar a apresentação de Projeto de Lei para legalizar o aborto no Brasil. O então deputado federal comunista ao votar contra a PEC, mostrou-se favorável que o assassinato de bebês em gestação fosse levado ao debate. Hoje o Brasil vive amedrontado com os ventos abortistas que sopram. Lindbergh tem parte nesse quinhão maldito. Lindbergh Farias e sua ajuda ao temido e anticristão PLC 122 Com mais detalhamento o assunto é explicado no artigo “De olho em 2014? Após defender Malafaia, senador Lindberg Farias (PT/RJ) se aproxima de Valdemiro”, escrito em abril de 2012. Lindbergh Farias e os cristãos Ao que tudo indica, o comunista do PT, Lindbergh Farias, logo, logo começará sua peregrinação pelas igrejas e eventos evangélicos. Quem sabe não seremos surpreendidos com sua ‘conversão’ ao cristianismo, como fez Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo, em 2008, semanas antes das eleições! Tudo é possível. O apoio de Malafaia seja para qual candidato for, terá um peso enorme para as eleições presidenciais. Segundo um analista político, Malafaia é o homem forte de 2014. Espera-se que os interesses políticos não falem mais alto do que a ética, a moralidade e os princípios cristãos, como ocorreu, também no Rio, quando Sérgio Cabral era candidato ao governo do estado em 2006. Sejamos cidadãos cônscios de nossos deveres cívicos e não nos deixemos levar por jogos de palavras. Devemos rechaçar qualquer candidatura que defenda princípios que afrontam a Palavra de Deus, independente de quem as respaldem. Se por um lado o pastor Silas Malafaia tem sido um valoroso apregoador das Boas Novas de Salvação aos quatro cantos do Brasil e fora dele, além de ser um ardoroso combatente em defesa da família, por outro lado as escolhas políticas do cidadão Silas Malafaia tem sido desastrosas, conforme esmiuçou Julio Severo no artigo intitulado: Silas Malafaia e seu apoio a FHC, Lula e Serra Homens de Deus também erram em suas escolhas. A Bíblia está repleta de exemplos. Oremos pelo pastor Malafaia e pelas demais lideranças evangélicas para que ajam como João Batista e não se curvem diante dos afagos de Herodes ou mesmo do imperador César. “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E maravilharam-se dele”. (Marcos 12:17).
COMPARTILHAR:

+1

Não Consegue Ouvir ?

Participe Por SMS



Igreja