Nas redes sociais, evangélicos iniciam boicote à microssérie O Canto da Sereia, da TV Globo

A Globo estreia hoje uma nova microssérie em quatro capítulos, chamada O Canto da Sereia, protagonizada pela atriz Ísis Valverde e baseada na obra de Nelson Motta, e as redes sociais já registram os primeiros protestos por parte de evangélicos contra a produção. Na microssérie, a personagem Sereia é uma cantora de axé, muito popular na Bahia, bissexual e acaba assassinada. No elenco, está a
atriz Fabíula Nascimento, que interpretará a personagem “Mãe Marina de Oxum”, uma mãe de santo. A atriz revelou ao portal R7 que o ambiente de gravação foi estimulante e possuía uma atmosfera diferente: “É um tesão anormal. Quando acaba a gravação e tomo um banho, viro a Isis de novo. A energia vai embora e fico podre”. Os protestos se dão pela presença de personagens ligados às religiões afro, assim como na novela Salve Jorge, escrita por Glória Perez. Ao saber das manifestações contrárias à microssérie, a escritora publicou em seu Twitter uma crítica ao que considerou intolerância: “Fizeram a mesma coisa com #SalveJorge! Que medo desse modo talibā de ser!”, escreveu. Antes da crítica, a autora havia publicado um link para a imagem que supostamente encabeçou a lista de perfis que protestaram contra O Canto da Sereia. No texto que acompanha a imagem, o pastor Divino Aleixo Marinho, da Igreja Pentecostal Betel Palavra de Fogo tece críticas à emissora, ao conteúdo da microssérie, e até a movimentos sociais. “Eta Globo que não desiste… Mas estamos aqui pra isso, pra sermos profetas e denunciar o pecado… Medite neste estudo, mas leia com atenção. Personagem de Ísis Valverde em ‘O Canto da Sereia’ será Bissexual [...]A minissérie ‘O Canto da Sereia’ agora é Oxum (Iemanjá) estreará em Janeiro na Rede Globo. A trama trará em seu enredo um assunto pouco visto pelos telespectadores: o bissexualismo. Quem estará à frente do tema será Sereia, uma cantora de axé, protagonista da série, que será interpretada pela atriz Isis Valverde. Na trama, Sereia se relacionará com homens e mulheres e viverá momentos intensos de paixão”, escreveu o pastor Marinho. O suposto estudo, divulgado pelo pastor, foi repassado por diversos outros usuários no Facebook e Twitter, tornando-se uma espécie de viral. Comentando o assunto, o blogueiro Danilo Fernandes, do Genizah, criticou o hábito que muitos cristãos tem de associar negativamente tudo ao mundo espiritual: “Certos evangélicos já estão demonizando a série O Canto da Sereia da Globo nas redes sociais. Alguém pode me explicar este fetiche que este povo tem com o diabo? Enxergam o capiroto em tudo e não conseguem achar Deus que está bem à frente!? O chifrudo fala na igreja, na TV, na internet… E Deus? Não escutam? Quem mais dá moral para o diabo são os crentes! Todos conhecem perfeitamente as reinações do demônio, poucos a vontade de Deus e, ainda menos são os que a cumprem!”. Já Paulo Teixeira seguiu a linha de críticas à Globo e escreveu no Holofote.Net que a relação estabelecida pela emissora com lideranças cristãs não a torna confiável, em seu entender: “A Globo vem tentando aproximação com os evangélicos e tem obtido bastante sucesso na empreitada. Na crença de que a emissora está se ‘convertendo’, muitos creem ser ‘de Deus’ a abertura que a Globo está dando aos evangélicos, mas a emissora tem comprovado cada vez mais sua preferência religiosa. O longo histórico da Globo mostra que a emissora está em caminho bem diverso dos evangélicos”. Por Tiago Chagas, para o Gospel+
COMPARTILHAR:

+1

Não Consegue Ouvir ?

Participe Por SMS



Igreja