Pastor aconselha fiéis a votar em candidatados que representem o povo, não igrejas

Pastor aconselha fiéis a votar em candidatados que representem o povo, não igrejasPastor aconselha fiéis a votar em candidatados que representem o povo
O escritor Rubens Teixeira fez uma publicação em sua página no Facebook, onde afirma que não votará em candidatos que representem igrejas ou instituições empresariais.
“As eleições estão próximas e eu tomei uma decisão: não votar em candidatos que representem de alguma maneira igrejas, empresas, líderes que tenham interesses empresariais ou de suas organizações que possam se sobrepor ao interesse social, especialmente dos mais carentes”, afirma Teixeira.
Rubens Teixeira é membro da Assembleia de Deus no Rio de Janeiro e conhecido por sua postura firme e critica diante do comportamento de muitos líderes cristãos. “Vou votar em candidatos que representem os anseios do povo e tenham independência para isso”, explica.

Na postagem Rubens explica que prefere candidatos que se preocupem em defender aquilo que o povo precisa e que não terão nenhum tipo de ligação que impeça que eles expressem suas opiniões.
“Prefiro os candidatos que vão se preocupar em defender aquilo que o povo precisa e não terão crivo de suas opiniões de quem quer que seja que possa estar acima deles dando-lhes ordens para que não atinjam suas organizações”, disse o escritor.
Rubens também explica que os candidatos ligados a líderes religiosos fazem parte de uma “oligarquia de poder que tem feito pouca diferença” para a sociedade. “São ‘cabeças’ usadas como mecanismo de acordo para se atingir objetivos distantes da necessidade da sociedade”, disse.
Co-autor do best-sellers “As 25 Leis Bíblicas do Sucesso”, Rubens Teixeira tem alertado a sociedade sobre a postura que o candidato deve ter para poder representar o povo. Teixeira está se preparando para lançar novos livros nos próximos meses.
“Pense bem antes de dar o seu voto, mesmo se você gostar do ‘chefe’ ou ser ‘parte’ da organização. O Brasil precisa mudar. Precisamos de mais representantes do povo, e menos representantes de grupos econômicos e religiosos se quisermos ver nosso país mudar para melhor nos próximos anos”, orienta.
COMPARTILHAR:

+1

Não Consegue Ouvir ?

Participe Por SMS



Igreja